terça-feira, 20 de outubro de 2009

TOCAR SHOFAR NA IGREJA, O QUE E ISSO?



Depois que vi este vídeo não posso deixar de tecer alguns comentários. Sugiro que você veja este vídeo duas vezes e depois acompanhe os comentários abaixo.
O que está acontecendo com a igreja é algo estarrecedor. Existe uma prática consciente de abandonar o Novo Testamento como norma para o cristão e um abraçar exacerbado em adotar práticas vétero-testamentárias como normas para os dias atuais. Os batistas têm como princípio distintivo doutrinário que o livro de norma prática para o cristão é o Novo Testamento. Somente o Novo Testamento é a lei para o cristão. Isso não nega a inspiração ou proveito do Antigo Testamento, nem que o Novo Testamento é um desenvolvimento do Antigo. Afirma, sem dúvida, que o Antigo Testamento, como um sistema típico, educativo e transitório, foi cumprido por Cristo, e como norma legal e caminho de vida foi cravado na cruz de Cristo e assim tirado do meio. O princípio ensina que não devemos recorrer ao Antigo Testamento para encontrar lei cristã ou instituições cristãs. Não é ali que encontramos a verdadeira idéia de igreja cristã, nem de seus oficiais, nem de suas ordenanças ou sacramentos, nem de seu culto, nem de sua missão, nem de seus rituais e nem de seu sacerdócio.
Um exemplo clássico disso é que em muitas igrejas na consagração ao ministério pastoral pratica-se a unção com óleo. Isso deve ser para fazer referência ao ato de ungir com óleo o sacerdote no Antigo Testamento. No Novo Testamento a consagração ao ministério pastoral não é praticada com unção com óleo como símbolo do Espírito Santo. Mas em algumas denominações o erro continua.
Aplicando-se o princípio distintivo dos batistas ao vídeo acima podemos perguntar: Por que tocar shofar na igreja e em seus cultos? Qual a lógica de se criar uma escola para ensino dessa prática? Somente há uma resposta, são práticas estranhas ao Novo Testamento.
Os irmãos que aparecem no vídeo afirmaram algumas coisas e creio que não houve dolo da parte deles e até creio na sinceridade de suas intenções, mas um total desconhecimento de teologia e Bíblia. Gostaria de ponderar algumas afirmações feitas:

1a - Ao participar de um ato profético e ouvir o toque do shofar sentiu que era chamado por Deus.

Em primeiro lugar ato profético não é encontrado no Novo Testamento. Até hoje ninguém definiu teologicamente ato profético. Creio ser uma interpretação ou modismo ou introdução de uma linguagem chula no meio cristão. Se ato profético é fazer algo aqui na terra que será realizado no céu é no mínimo uma coisa infantil, para não dizer desprovida de intelectualidade. Pois bem, alguém ouvir outro tocar shofar e se sentir chamado é algo puramente subjetivo, emocional e não pode ser base para nada. Antes de qualquer coisa não existe chamado para se tocar shofar no Novo Testamento. Se o Novo Testamento é o princípio regulador para o cristão então este chamado é igual a nada. O senso que Deus falou conosco deve ser provado no crisol da Palavra, mas como isso levaria a uma grande frustração por parte daqueles que se sentem chamados, então se despreza a Palavra e firma-se nos sentimentos. Esse comportamento é puramente uma manifestação de carnalidade e expressão da pós-modernidade.


2a - O jovem disse que depois de aprender a tocar o shofar ele passou ter mais comunhão com Deus e as pessoas são tocadas pelo som do mesmo.

Isso é atribuir poderes miraculosos a um chifre de carneiro. Cheira a animismo. O desejo por maior comunhão com Deus não se dá através de sons de instrumentos, mas pelo simples fato que amamos a Deus e querermos Sua companhia. Se o motivador é tocar shofar então podemos dizer que outros sons também motivam. Um chifre de carneiro tem tal poder assim? Só porque alguém consagrou tal shofar ele agora passou a ser especial e ungido a tal ponto de mudar comportamentos e influenciar pessoas? Isso é muita infantilidade. Isso é desprovido de racionalidade e base bíblica. Mas essa onda judaizante que entrou na igreja está causando estragos irreparáveis. Pessoas serem tocadas pelo som do shofar é atrair atenção para si. É querer ser especial demais dentre muitos. Pelo que venho estudando a mais de 25 anos em teologia, Bíblia e história da igreja nada igual foi vivido pelos cristãos antes.


3a - O pastor afirmou que nós sabemos, através de textos bíblicos, que a igreja primitiva usava o shofar em batalha espiritual.

De qual Novo Testamento o pastor tirou tal afirmação? É uma afirmação no mínimo desleixada ou feita a esmo que induz ao erro. Nunca li isso no Novo Testamento. Possuo várias versões da Bíblia e nunca vi nada igual. Arma de Batalha espiritual? Isso é acrescentar ao texto sagrado o que ele não contém. As únicas armas que Paulo menciona no Novo Testamento estão em Ef. 6:13-20 que transcrevo abaixo:
"Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
14 Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; 15 E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; 16 Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
17 Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; 18 Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos, 19 E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho,
20 Pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar".
Não encontrei o shofar como arma de batalha espiritual, você encontrou?

4a - O pastor afirmou que o toque do shofar aponta para o Messias, que lembra a igreja que Ele está voltando e o toque do shofar anima a igreja.

Todo tipo no Antigo Testamento apontava para o antítipo que era Cristo. Mas como diz o autor de Hebreus esses tipos eram sombras do que havia de vir e quando Cristo veio os tipos perderam os significados, pois, já temos o verdadeiro e as sombras passaram. Então o pastor cometeu um erro elementar de não saber Bíblia. Mas como um pastor pode deixar de conhecer a Bíblia, sendo ela seu principal instrumento de trabalho? Acredito que deva ser mais um daqueles pastores consagrados que nunca se assentaram em um banco de faculdade ou seminário livre de boa procedência para estudar teologia. Se esse for o caso fico a me perguntar: De quem é a culpa? Da igreja que irresponsavelmente consagrou tal pessoa ou da pessoa que ambicionando status aceita tal irresponsabilidade? No fundo os dois são os culpados. Ambos negligenciaram os princípios da Palavra.
Afirmar que o toque do shofar lembra à igreja que Cristo está voltando é no mínimo brincadeira de mau gosto. Onde está isso na Bíblia? E agora falo da Bíblia toda e não somente do Novo Testamento. Afirmar que isso anima a igreja soa a criancice. O que deveria animar a igreja é a pregação vigorosa da Palavra de Deus. Deveria ser uma exposição do texto bíblico com preparo em pesquisas, oração e unção do Espírito Santo e nunca o som de chifre de carneiro. Tal afirmação enjoa e enoja qualquer pessoa de intelectualidade mediana.


5a - A repórter afirma que através de uma revelação de Deus nasceu a escola de shofar Brit.

Alguém disse que Deus falou e isso vira verdade. A questão que fica sem resposta é que o pastor disse que Deus não havia falado com ele, mas sua esposa volta de uma viagem a Israel e lhe traz uma revelação. Pergunto: "Quem é o cabeça nessa relação?" É a mulher que ensina o homem ou deveria ser o contrário, segundo Paulo? Mesmo que minha mulher trouxesse uma nova revelação para mim eu deveria provar isso à luz da Bíblia. Mas parece que o pastor aceitou tal revelação acriticamente. Isso é jogar no lixo toda forma de racionalidade em nome de uma espiritualidade doentia e mesmo evidencia a fraqueza e inadimplência de tal pastor diante da vida. Desde quando a mulher de pastor tem palavra autoritativa final na vida de pastor ou quem quer que seja? Ridículo!
Daí nascer uma escola para ensinar tocar shofar só mesmo acreditando em Papai Noel.

6a - O pastor afirma que conhecendo o shofar o chamado se evidencia.

Sempre entendi que quando existe um chamado de Deus ele parte de Deus e nunca de coisas materiais. Mas como os tempos mudaram e Deus deve ter mudado também seu modo de agir.

"Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus"

Cabe a cada um de nós nos posicionarmos contra tais comportamentos e afirmações, mesmo que sejamos taxados de bitolados e retrógrados. Nosso eterno compromisso é com a Palavra e somente com Ela. Nada disso que está neste vídeo deve nos motivar, mas nos levar a rejeitar tais ensinos como erráticos e heréticos. Os resultados desses ensinos são: Cristãos alienados, sentimentais e pouco racionais, igreja sempre menina e nunca madura, espiritualidade doentia e adoecedora e ridicularização por parte do mundo.

Soli Deo Glória.

Luiz Fernando R. de Souza

20 comentários:

  1. Pr. Luiz Fernando,
    teci um longo comentário, que acabou perdido na instabilidade do meu "oi velox".
    Creio que não era a vontade divina que ele fosse publicado e lido. Então, não vou refazer todos os caminhos anteriormente escritos.
    Resumirei-me a dizer que onde os princípios bíblicos são desprezados e rejeitados, não sobra mais nada a destruir na igreja. O resultado são escombros, monturos.
    Os tempos são difíceis... mas pode piorar.
    Já imaginou se eles decidem que o sacrifício de Cristo na cruz não foi suficiente, e resolvem sacrificar ovelhas e bodes como meio de expiação dos pecados? Mesmo com Paulo dizendo que o sangue de touros e bodes não pode salvar? São capazes de construir uma réplica do Templo; coisa que os próprios judeus não se atreveram a fazer e, por isso, não há mais sacrifícios de sangue.
    Infelizmente, muitos crentes estão fazendo o caminho de volta, retornando de onde saíram: o tradicionalismo superticioso, pagão e herético dos romanistas. Eles fizeram tal qual se faz hoje: buscaram um padrão e um culto judaizantes.
    Deus moveu homens como Hus, Wycliff, Lutero, Zwíglio, Calvino e outros, exatamente para que o Seu povo abandonasse essas práticas que são reflexos da justiça própria, a qual a Biblia considera trapos de imundície.
    Não seria o liberalismo e o subjetivismo as fontes para tantas aberrações e distorções no seio das igrejas? Levando-os à incredulidade?
    Se por um lado, os católicos conquistaram o mundo medieval através das armas e da violência; não seria esse o caminho escolhido por muitos para novas conquistas (estatisticamente falando) através do retorno às origens? Uma espécie de volta de onde nunca se deveria ter saído? De se criar um verdadeiro parque de diversões para bodes e lobos através da supertição e atos bizarros?
    Novamente, parabenizo-o pelo artigo exortativo, detalhado, e que serve de profunda reflexão para os verdadeiros crentes: por que permitimos que isso aconteça com a igreja? Até que ponto amamos verdadeiramente o nosso Senhor Jesus Cristo, se não nos importamos com Aquela pela qual Ele padeceu e morreu?
    Forte abraço.
    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Prezado irmão Jorge,
    quanto à sua pergunta sobre se sacrificariam animnais, isso já aconteceu no interior de Minas no auge do G12, lá pelos idos de 2000/01. Não existe limite para o descaso com a Palavra. Quanto a tomar o caminho de volta para as origens me faz lembrar da música de João Alexandre (É Proibido Pensar) onde ele afirma que estão tentado costurar o véu rasgado por Cristo.
    Em Breve vou postar um texto sobre os rejudaizantes.
    O liberalismo e o subjetivismo são realmente a base para esses erros grotescos. Nisso importa mais o íntimo do que o real. As emoções são os novos paradigmas.
    Suas observações são muito claras.
    Obrigado por postar.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  3. Querido amigo Pr. Luiz Fernando,
    É interessante salientar que a heresia nasce, via de regra, no meio da igreja. São aqueles crentes que movidos por uma interpretação absolutamente nova e exclusiva (Joseph Smith, Ellen White etc)acham que descobriram algo que o Espírito Santo até então havia negado ao resto da Igreja.
    Exegese, hermenêutica, lógica, história, geografia, e conhecimento da Bíblia são sacrificados no altar do Eu. Eu acho, eu senti, eu ouvi falar... Ora, a chave para entender o VT é o Novo Testamento e este tem que ser entendido à luz de Jesus.
    E se você achar que eu não estou certo, abro uma outra igreja, pois essa aqui já não serve para mim, afinal de contas eu estou aqui para receber.
    Algumas pessoas não conseguem perceber que a revelação progressiva de Deus é um ato de extremo carinho com a nosso crescimento espiritual e cognitivo(porque se lá no começo tivesse feito sua revelação com é hoje, ficaríamos muito perdidos no entendimento).
    Deus foi saindo do concreto e usando, cada vez mais, o abstrato. O problema é que parece que uma vida pietista, leitura da Palavra e oração não são suficientes. São os crentes novidadeiros. O novo é eleito como um valor em-si-mesmo.
    Além disso, repare que Jesus nunca fez o milagre da mesma forma: em um momento faz lodo, em outro apenas profere uma palavra etc. Por quê? Para não santificar o método. É interessante lembrarmo-nos de que a pedra do altar do sacrifício tinha que ser bruta? Para não santificar o altar em lugar de Deus.
    Por último, a ideia geral que legitima qualquer bobagem é: o que vale é a intenção.
    Acho que Davi pensou assim e Aza acabou morrendo. Há muito crente oferecendo fogo estranho a Deus.
    Preservemos a Sã Doutrina!

    ResponderExcluir
  4. Pr Luiz Fernando.

    Que negócio absurdo!

    Nestes dias a cegueira está generalizada. As vistas não são abertas e as pessoas buscam Deus - ou a sim mesmas nas coisas mais tolas.

    Quanto ao seu comentario acima, saiba que tive noticias de um pastor em Portugal que sacrificou um cabrito no pulpito. Foi este ano!

    mARANATA.

    sE MEM PERMITE, VOU LEVAR ESTE ARTIPGO PARA O GENIZAH, COM SEUS LINKS, CLARO.

    ResponderExcluir
  5. Prezado irmão André,
    O pragmatismo e o subjetivismo imperam no meio evangélico. Qualquer nível de racionalidade parece incomodar multidões que fazem questão de continuar vivendo como se nada estivesse acontecendo. As pessoas estão envolvidas com o nada que perderam o senso do ridículo. Este vídeo foi gravado na praça do Papa aqui em Belo Horizonte. Fica na zona sul da cidade onde mora sua elite. As pessoas acham que estão dando um testemunho brilhante de Cristo e sendo ousados. Realmente o problema é que se não houver novidade o ego não se satisfaz.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Prezado Danilo,
    Daí para mais meu irmão. O besteirol não tem limites. As pessoas viraram massa de manobra nas mãos de alguns e o pior é que fazem questão de sê-lo. Pode publicar no Genizah. Fico honrado com isso.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  7. Caro Pastor Luiz Fernando,

    cheguei ao seu blog através do blog Genizah, muito interessante o seu texto. Por sinal, escrevi um pequeno conto criticando justamente este modismo do shofar, que infelizmente vi numa igreja batista do interior de SP:

    http://ocontornodasombra.blogspot.com/2008/08/dirio-de-um-luntico-9.html

    que Deus continue o abençoando grandemente.

    graça e paz!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela sóbria reflexão...Quando é que vamos parar diante de toda distorção da Palavra? É um desejo insano de viver uma vida antigo-testamentária em oposição a VIDA de Graça. Sinceramente, seria melhor para essas pessoas não terem nunca lido a Bíblia, especialmente o AT.

    Mário Celso
    visite meu blog www.caminhandocomgraca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Caro pastor,

    Eu também sou batista, afeito à sã doutrina, como as que dizem respeito à graça e justificação em Cristo. Tenho lutado ferrenhamente contra esses modismos e essas "coceiras no ouvido" que têm possibilitado a entrada de heresias dentro da Igreja de Cristo. Mas não tem sido fácil.
    Escrevi alguns textos sobre isso no meu blog. Caso lhe apeteça, faça-me uma visita, será muito bem recebido (ricardomamedes.blogspot.com).
    Agora, convenhamos, que essa igreja batista lagoinha (tudo escrito com minúsculas) é o berço das heresias da nossa denominação, capitaneada por essa família Valadão. Pelo amor de Deus!!! Eles popularizaram as loucas "unções" (e essas não são verdadeiras, pois há uma única verdadeira, a do Espírito Santo), a perseguição aos demônios, confissão positiva e muitas outras sandices. Culminando com a bizarrice da Ana Paula Valadão andando de quatro.
    Até onde vamos? Essa é a pergunta que teima em ecoar. Temos que confiar que Deus está no controle e que os "seus pensamentos são mais altos do que os nossos pensamentos". Ele faz a hora.

    Em Cristo.

    ResponderExcluir
  10. Prezado irmão Hélio,
    Li seu artigo e adicionei seu blog em minha lista. O que dizer mais? Seu texto é claro e objetivo expondo abertamente os modismos existentes. Parece-me que Jesus não mais satisfaz, a graça não basta e uma vida piedosa é totalmente desconhecida dessa geração de cristãos. Parabéns pela Lucidez e capacidade de expressão. Continue nessa linha, pois, estamos carentes de racionalidade em nosso meio. Deus abençoe sua vida, família e ministério. Seja sempre constante na obra do Senhor.
    Obrigado por visitar o blog.
    Um abraço
    Naquele que é suficiente em todas as coisas.

    ResponderExcluir
  11. Olá Mário,
    sua visita ao blog somente o enriquece. Visitei seu blog e está muito bom. Parece que está emergindo um grupo de blogueiros insatisfeitos com o status quo reinante. O desejo de reinventar o cristianismo é em si sua própria distorção. Onde vai terminar? A resposta é incerta. Parece-me que isso virou tendência e tendência não se reverte no curto prazo.
    Vamos continuar na sã doutrina.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  12. Prezado irmão Mamede,
    suas colocações são reais e coerentes. Doi em saber que isso acontece no meio batista. Deveríamos ser mais cautelosos em nossas práticas, mas em nome de "unções" que ninguém consegue explicar tudo pode. O grande problema é que quando um grande faz ele forma opinião e os outros tendem a segui-lo. Daí perdermos a referência naquilo que é importante. Acredito que esse castelo de cartas vai rui estrondosamente e ainda veremos muitas coisas.
    Obrigado por visitar o blog.
    Um abraço
    Naquele que viveu na simplicidade e marcou este mundo com a verdade.

    ResponderExcluir
  13. é para chorar de vergonha.
    já vi um pedaço da aula... textos fora de contexto, literário e cultural.

    O melhor de Deus não está por vir, já veio: Jesus!!!


    http://cristaoperegrino.blogspot.com/
    Teologia com paixão por Jesus.

    ResponderExcluir
  14. Semana passada, enquanto lia a Bíblia, me deparei com um texto que está no livro de Jeremias. Acredito que resume bem o que vêm acontecendo na igreja. O texto está no livro de Jeremias 23:21 a 32 e fala sobre o cuidado (leia-se TEMOR) que precisamos ter quando proferimos alguma coisa dizendo que a mesma veio do coração de Deus.

    Queria citar aqui apenas o versículo 25 e 26: "Eu sei o que têm dito esses profetas que falam mentiras em meu nome e afirmam que lhes dei minhas mensagens nos seus sonhos. Por quanto tempo ainda esses profetas vão enganar o meu povo com as mentiras que inventam?"

    Acho importante combatermos, ainda que em minoria, essa "onda" que vêm assolando a igreja.

    Deus nos ajude!

    ResponderExcluir
  15. Olá Pr. Luiz, gostamos muito de seu comentário sobre o vídeo acima e concordamos plenamente com sua reflexão, que isto fique bem claro. Mas sentimos uma certa hostilidade ou (posso dizer preconceito) quanto a uma mulher receber de Deus uma revelação. Isto confere, ou entendemos errado?

    Sandra e Raquel

    Ah!!! Sou a (Sandra), a moça simpática do debate do SEBEMGE que você praguejou rsrsrssss. "Sobre a minha vida não vale maldição nem encantamento"

    ResponderExcluir
  16. Prezada irmã Sandra,
    sua visita ao blog somente o enriquece. Quanto ao entendimento do que escrevi esclareço: 1 - Sei que é difícil conseguirmos analisar e ou interpretar um texto de outrem, pois, muitas vezes o espaço é curto para que se escreva tudo muito claramente. As vezes uma palavra usada pode despertar sentimentos que o autor não quis dizer. 2 - Disse na minha postagem que mesmo que minha mulher trouxesse uma nova revelação eu teria que provar isso à luz da Palavra e não aceitar acriticamente como o pastor do vídeo fez. 3 - Pastor gente boa como eu somente profere bençãos sobre pessoas boas como você. rsrsrsr.
    Obrigado pelo acesso.
    Um abraço
    Em Cristo
    Obs.: minhas novas postagens estão sendo feitas em outro endereço:

    http://ministerioforcaparaviver.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Nunca frequentei um seminário, mas sei que não há nada em Israel que seja mais santo do que em qualquer parte do mundo. Seja chofar, óleo, água. Há é um grande comércio entre igrejas que como a na idade média, vende indugéncias. ELCI

    ResponderExcluir
  18. A paz querido Pastor gostaria de saber sua opinião sobre equipamentos estrumentos musicais nas igrejas obs.tipo bateria guitarra contra baixo bango timbau entre outros
    Pois nenhum desses encontrei na Bíblia?
    Agora gaita fole tamborim shofar esses eu eu encontrei! Qual é o certo e o errado
    Desde agradeço a atenção!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega Pr. Genner, entendi a intenção da sua pergunta.
      Deus o abençoe ricamente.

      Excluir